terça-feira, 24 de março de 2015

TAG: Conhecendo a blogueira

 OLHA QUEM TÁ VIVAAAAAAAAAA!!!



 Perceberam que eu quase sempre começo posts pedindo desculpa pela demora? HAHAHAHAHAH
Mas sim, desculpem pela ausência. Eu ainda ia ficar mais tempo sem fazer posts se não tivesse resolvido morder minha língua e responder uma TAG.
 Eu sempre resisti muito em responder TAGs, porque eu acho que não faz muito sentido fazer essas TAGs se não é um blog famoso.
 Mas aí me falaram "Meu, e daí?" e eu pensei que, de fato, não preciso ter milhares de pessoas lendo meu blog. Basta uma. Ela pode me conhecer, ela pode gostar de ler uma TAG assim. E cá estou eu.
 Já me taggearam pra responder essa do Conhecendo a blogueira antes, mas eu não lembro quem/quais foi/foram, então vou usar a última como base, que foi qual me fez pensar se deveria fazer ou não.

 Quem me taggeou foi a Tyeme, que tem um blog com foco em Design de Interiores (<3), o Opinião da Designer
 A TAG funciona assim: eu conto 11 curiosidades sobre mim, respondo as 11 perguntas que a Melina fez no post dela, faço 11 perguntas e por fim indico 11 pessoas para responderem as minhas perguntas. Acho que é uma ideia legal pra que a gente conheça melhor quem está por trás dos blogs que a gente visita e é uma forma de eu me apresentar melhor por aqui.

11 curiosidades sobre minzinha

Zoom na minha cara de animada BEM NA SUA FACE!

1. Meu nome é Mariana Ferrari Corrêa e, apesar de eu não esconder de ninguém, poucas pessoas sabem do meu último nome, por puro costume de colocar só o Mariana Ferrari.

2. Minha família é composta por, em sua maioria, homens. Eu tenho quatro irmãos e sou a única menina, tenho três tios e nenhuma tia paternos e cinco primos e três primas. A única pessoa que teve mais mulheres do que homens foi minha avózinha materna, que teve três mulheres (minhas tias e minha mãe lindas) e um homem. Apesar de eu amar ter quatro irmãos e sentir muito orgulho de falar isso pras pessoas, meu sonho sempre foi ter uma irmã. Quem sabe na próxima vida.

3. Quando eu era ~mais~ nova eu achava que ia chegar aos 15-18 linda maravilhosa com peitão sem barriga sem espinha arrasando o coração dozotro e: decepcionei. Hoje eu vejo que isso é super problemático e que não é legal induzir meninas a pensar nisso e sim a aprender a amar seus corpos desde cedo, para elas nunca nunca nunca passarem o que eu e tantas outras mulheres passamos ao olhar no espelho, querer colocar uma roupa que "não condiz com nosso tipo de corpo" e etc. Quero que elas apenas liguem o foda-se pra isso tudo.

4, Eu tenho o blog faz três anos e nunca comemorei um aniversário do blog porque sou estabanada e sempre esqueço, mas também porque eu não comecei ele com o intuito de ser o que ele é hoje. Comecei ele só pra postar meus textos e quando vi já tava escrevendo sobre minha vida e os textos foram ficando de lado. Sdds escrever textos inclusive. Aí eu vejo meninas com um ano de blog fazendo sucesso e comemorando e me sinto o parasita no cocô do cavalo, mas logo isso passa porque sei que as pessoas que leem meu blog gostam dele e isso é o que importa.

5. Sempre fui, como meu irmão mais velho gosta de dizer, "do contra". E hoje sei que isso é ótimo. Eu sempre quis ter tatuagens, mesmo mamãe não deixando colocar nem aquelas de chiclete, eu sempre quis fazer coisas diferentes no cabelo, desde mechas coloridas (tava na moda na época ter uma mecha de cada cor, licença, mas mamãe não deixou e acho que eu evitei passar mico com isso - apesar de fazer umas loiras no meu cabelo com 9 anos sem ela saber hu3) até raspar a cabeça toda. Dois anos atrás comecei a fazer algumas dessas coisas, como o undercut, que foi minha primeira "loucura". Eu gostei bastante na época, mas não mantive. Depois foi cortar meu cabelo no ombro que estava quase na bunda. Depois virei ruiva, cortei franjinha (sonho de criança!!!!onze!) e, por último descolori uma mecha (meu xodó). 
 Quando fiz meu undercut minha mãe quase desmaiou, quando cortei o cabelo minha família toda foi contra a princípio falando tudo que passassem na cabeça deles para me amedrontar (mas eu sou taurina né, teimosa que só, licença) e, depois, amaram. Depois que virei ruiva contra eles também, eles gostaram e não ligam muito mais pras minhas "loucuras". Na verdade tudo que tô fazendo é por gosto e por chegar ao meu destino final: cabelo colorido.
 Voltando ao assunto HAHAHHA eu nunca achei legal meus irmãos poderem fazer coisas que eu não podia porque "sou menina" e sempre quis ser livre de algum jeito. Sempre gostei de contrariar o que a sociedade dizia e depois que descobri o feminismo vi que, mesmo eu reproduzindo muito machismo, racismo e etc, eu estava muito certa em ser revolucionária desde o início.

6. Todo mundo que me conhece tem anos jurava que eu faria Direito, por eu sempre defender quem eu acho que tá certo. Eu já fiquei em dúvida entre mil e um cursos, entre eles Jornalismo, Turismo e o próprio Direito. Comecei a pensar no Design de Interiores só no final do primeiro ano do Ensino Médio e, pra falar a verdade, ainda não sei se é isso que quero pra minha vida. Gosto bastante da área e já sei até meu tema do TCC e da minha especialização, se eu for fazer. Mas não sei se é isso que eu quero pra fazer o resto da vida. Hoje eu entendo que não tem nada de errado nisso, porque eu entrei na faculdade nova DEMAIS e não sei se isso é bom.

7. Essa tem relação com a curiosidade acima. Eu aprendi a ler com quatro anos na creche, o que me fez ser mais "avançada" do que as outras crianças. Quando entrei no pré, a dona da escola que eu estudava me adiantou uma série. Isso foi bom em alguns lados, como terminar o Ensino Médio com dezesseis anos, mas foi ruim em outros, como quando minhas amigas começaram a virar mocinhas e se desenvolver e eu não. Me sentia muito mal por isso. E olha que eu menstruei bem cedo, aos onze anos, mas pra mim era tarde DEMAIS. Isso também vale para primeiro beijo, primeiro amorzinho, querer ir pra festas, etc. Eu tive que amadurecer pra poder me ajustar e hoje todo mundo (e às vezes até eu) não acredita quando digo que tenho dezessete anos, que pareço ter mais. 

8. Eu sempre criei histórias de coisas que eu queria que acontecesse e de coisas que eu queria que falassem pra mim e isso me fez criar uma expectativa enorme em cima das pessoas. Sei que isso não é saudável e eu quebro a cara SEMPRE por causa disso. Vivo magoada e a culpa nem é delas coitadas que não fazem ideia do que se passa na minha cabeça.

9. Constantemente me sinto deslocada e vivendo uma vida que "não é minha". Na verdade sinto que eu queria algo diferente, mas não faço ideia do que seja. Espero um dia descobrir e me sentir plena.

10. Sou extremamente dependente da minha mãe e da minha avó. Isso não é bom na maioria das vezes porque acaba machucando a gente em algumas situações, como viagens e até para tomar decisões. Ás vezes eu desisto de fazer ou falar algo por medo de magoá-las e sei que isso não faz bem porque eu acabo me automagoando não fazendo o que eu quero.

11. Eu sempre quis ser mãe. Sempre me imaginei grávida e com um filho nos braços, junto com um marido que vai ser o melhor pai do mundo (exigência mínima). Com treze anos tirei uma foto fingindo estar grávida (minha barriga permite essas coisas) e eu me apaixonei pela foto. Apesar de não ter ela mais, lembro exatamente como ela é de tanto olhar. Posso dizer que eu amo meu filho sem nem ao menos pensar em concebê-lo, e sempre me empolgo quando o assunto é maternidade. Estudo o tema por simples prazer e me dá agonia ver alguém fazendo algo por ignorância e/ou comodismo. Me dá vontade de sair batendo de porta em porta às 8 da manhã do domingo e perguntar "você tem um tempinho para ouvir sobre a maternidade?", juro HAHAHAHHA 
 Exemplo: você sabia que as fraldas de pano de hoje em dia não são como aquelas de antigamente que eram iguais as atuais fraldas de limpar boquinha? Elas são iguais fraldas descartáveis, e vem com tipo um "suporte" (esqueci o nome aff) pra colocar na fralda que não vai deixar as necessidades do baby vazar. Tem de um monte de cor (É LINDO DEUS) e pode lavar na máquina, OU SEJE. 
Fico indignada quando vejo gente insistindo em usar fralda descartável sendo que a de pano é extremamente mais fácil, econômica (em situações financeiras principalmente) e sustentável. Sei que a grande maioria não sabia (como eu um dia não soube) mas ninguém sequer pensa em pesquisar sobre essas coisas.

 Sos, falei viu? Eu demoro pra começar a pensar em algo pra falar sobre mim, mas quando começo não tenho vontade de parar mais SOCORRO.

 Agora vou responder as perguntas da Ty:

1. Se você pudesse trocar de nome, qual escolheria?
Eu já pensei em vários nomes ao longo da infância que queria ter até aceitar e amar o meu. Mas, se eu tivesse que trocar, acho que eu escolheria o nome que vou dar pra minha primeira filha, Serena. Não me imagino com esse nome porque sempre imaginei ela com ele, e acho que não combina comigo. Mas acho que seria esse que eu escolheria.

2. Qual item de decoração mais gosta no seu quarto?
Apesar do meu quarto ser meu refúgio, eu nunca gostei muito da aparência dele. Mas também não consigo definir nada que eu quero para poder mudar. Então, acho que a estante de livros improvisada que mamãe fez e eu gostei muito (ainda não personalizei, sos) e os meus dois filtros do sonho pendurados um em cima do outro que foi super sem querer e acabei gostando.

3. Sua cor preferida é...?
Eu não tenho cor preferida. Nunca tive. Mas eu amo tons de azul, desde o royal até o quase verde (eu chamo de verde-água mas já vi taaaantos nomes pra eles que até desisto). Amo preto também. 

4. Algum livro já fez você chorar? Se sim, qual livro?
Xiiii, vários AUHAUAHUHAU amo livros e amo ler, então é quase impossível não ter me emocionado com alguns. Mas o único que eu morri de chorar, que voltava depois de acabar pras páginas que li e chorei e chorar de novo, foi Deusa da Luz, da P.C. Cast. Nem tem tanto motivo assim, mas eu simplesmente não.resisti. 
 E quando acabei Harry Potter e as Relíquias da Morte. Não conseguia aceitar que tinha acabado. Chorei uma tarde de domingo inteira por causa disso.

5. Você acabou de ganhar R$1.500,00 reais da ~fada madrinha~. Como você vai usar esse dinheiro?
Sem dúvidas eu ia pagar minhas contas, fazer minha primeira tatuagem e, do que sobrar, depositar metade e guardar metade para minhas viagens (ai que sonho ganhar esse dinheirinho!!!).

6. Uma pessoa/personagem/artista que você admira.
Admiro minha mãe e a garra que ela teve pra criar eu e meus irmãos, fazendo tudo quanto é bico. Admiro o Luan, que com dezessete anos sustentava ele, a mãe e o irmão com menos de R$ 500,00. Admiro as minhas femininjas pela garra delas em tudo, principalmente minhas superninjas. Amo vocês,
Admiro MUITO a Flavinha Calina e o Luba. 
Poderia citar um trizilhões de personagens que admiro, mas vou deixar duas só pra tombar com tudo: Mione Granger e Giny Wesley.

7. Tem algum álbum musical que você goste por inteiro, de todas as músicas do disco? Qual?
Se tem uma coisa que eu não faço é ficar escutando álbum musical. Nem tenho nenhuma música no celular, quando quero ouvir eu coloco no YouTube ou no Spotify, então geralmente eu nem sei quais músicas fazem parte do álbum de algum cantor que eu gosto.

8. Tem uma história engraçada da sua infância que pode contar?
HAHAHAHAHAHA VÁRIAS! Mas vou contar três: 1) Eu, quando criança, e até hoje, sempre fui muito ingênua e sempre fui de acreditar muito fácil no que contam para mim. Minha melhor amiga da época vivia me contando mentiras absurdas e eu sempre acreditei. Uma vez ela me contou que ela era mais velha que o Well (irmão dela, quase dez anos mais velho), mas ela parou de crescer e aí ele passou ela (NÃO ME PERGUNTE A LÓGICA DISSO).
2) Numa aula de ciências na quarta ou quinta série, me bateu uma dúvida e eu cometi a esperteza de perguntar em voz alta pra professora: "Professora, com quantos anos começa a sair leite do peito da mulher?", só porque eu tava vendo umas coisinhas brancas no meu mamilo (provavelmente algodão ou linha das roupas) e achei que estava produzindo leite. Nem preciso dizer que me zoam até hoje quando me lembram disso né?
 3) Eu tava na escola (já falei várias merdas na escola como vocês podem perceber) apresentando um trabalho, sei lá sobre o que, mas envolvia menstruação, e fui abrir um absorvente pra mostrar pra turma como era. Acontece que eu nunca tinha menstruado e simplesmente NÃO SABIA abrir o absorvente. Passei muita vergonha e apesar de os outros rirem quando conto, eu me senti a pessoa mais inútil do universo.

9. Uma situação/lugar que te deixe desconfortável.
Acreditem ou não, eu sou uma pessoa tímida. Se você quiser, você consegue me deixar desconfortável num piscar de olhos. Me sinto desconfortáveis em lugares que não conheço ninguém, principalmente se estiver sozinha, fico morrendo de vergonha/medo de outras pessoas estarem olhando pra mim e me zombando, tanto que ando sempre olhando pro chão.

10. Qual é o seu hobbie preferido?
Um só? Eita haha. Ler, claro. E dormir. Dormir muito. E vegetar. 

11. Você sabe tocar algum instrumento musical? Qual?
NÃO *chora* eu sempre quis aprender a tocar instrumentos musicais. Violino, violão, piano (piano!), bateria, harpa, tambor e mais um monte que não consigo lembrar.

 Agora é a hora que eu tenho que fazer 11 perguntas. Mais três horas pra pensar nelas.

Minhas 11 perguntas

1. Quando você pensa no futuro, como você se imagina?
2. Gosta de viajar? Se sim, pra quais lugares já foi e qual você mais gostou?
3. Se tivesse que se definir em duas palavras, como se definiria?
4. Você é militante de alguma causa? Se sim, qual/quais?
5. Qual o momento mais marcante da sua infância?
6. Do que você mais sente saudade?
7. Se você pudesse escolher o que ganhar de presente no próximo aniversário (e fosse sua única opção!), o que escolheria?
8. Você tem que se defender de alguém que quer te agredir e/ou te fazer algum mal. O que você escolheria para se defender?
9. Em qual mundo de qual livro você escolheria viver se pudesse?
10. Todo mundo já passou por momentos difíceis. Qual o ensinamento (frase, trecho de música, gesto) que você tem para lidar com essas situações e torná-las mais fáceis?
11. Qual seu maior medo/trauma/fobia?

 Vou taggear alguns blogueiros que lembrar e provavelmente não vai dar cinco, então convido todo mundo que ler e se interessar a ler e pode falar que eu indiquei mesmo, porque tô indicando indiretamente hihi <3
1) Gabe Moreira, do Mente Ferrada; 2) Jess Fernanda,, do Liberty Walk; 3) Tati Lucindo, do Tatsiology; 4) Eli Brandão, do Rilassare la mente;

 Ufa, finalmente né? Desculpem a empolgação. Acho que vale o comentário só pelo tamanho do post, hein hein hein hein hein hein hein hein HEINNNNNNNNNNNNNN?

 Amocês.






Nenhum comentário:

Postar um comentário