segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

RIO - Primeira viagem de avião, hospedagem em casa de amigo virutal e passeios

 Ó QUEM TÁ AQUIIIIII!!! VOLTEI MORESSSS!!!!

 Cara, eu tenho taaaaaaaaaaanta coisa pra contar D: pra cês terem noção, eu vou dividir o post do Rio em dois, porque mesmo não tendo muuuuuita foto (ok tem algumas), tem muito assunto. E cês pensam que eu parei? Cheguei dia 24 e já fui viajar de novo pra casa dos meus tios (acho que é assunto pra outro post - acham que eu devo fazer? Hm ~pensando~) e fiquei lá até ontem. Acabou que eu nem fiz posts natalinos tampouco desejei Merry Christmas lá na fanpage do blog, mas é porque fiquei meio off mesmo. Postei coisas lá, mas não foi tanto.
 Pegou o banquinho? Então senta que lá vem história.
 Dia 17 eu fui pro Rio. Eu não quis fazer muito alarde disso tudo porque na verdade era algo meio surreal pra mim. Eu nunca fui de dormir em casa de amigas, nem de viajar com elas, meus pais nunca deixaram, então, quando meu pai chegou com a passagem comprada em outubro, pra ir pra casa de uma pessoa que eu não conhecia pessoalmente e que meus pais TINHAM DEIXADO, eu simplesmente não consegui acreditar. A ficha não caiu. E só foi cair minutos antes de embarcar (fora que eu tenho um medo desgraçado de cantar vitória e colocarem olho gordo).
 E outra: eu fui de avião!!! Eu nunca tinha andado de avião, mas graças à uma coisinha (que é assunto pra outro post ~ aguardem) rolou.
Quando foi dia 16 que eu comecei a arrumar as coisas. O coração já começou a apertar de pensar em deixar minha mãe """sozinha""" em casa (minha avó e o caçula estavam viajando, logo, ela ia ficar o dia todo sozinha porque papai trabalha e ela tinha acabado de entrar de férias). Bateu aquele friozinho na barriga e foi quando eu comecei a perceber que aquilo talvez fosse real.
 Daí chegou o grande dia neam. Mamãe me acordou com beijinho (<3) e já ganhou abraço antes de eu sequer abrir o olho kkk
Me arrumei e fomos pro aeroporto. Luan passou aqui em casa pra me ver porque ele não ia poder me levar no aeroporto e me deixou crying e fomos.
 Quase na hora de embarcar papai chegou (ofegante) pra me dar um abraço e eu embarquei.
Gente, ter que entrar, sozinha, praquela sala de embarque é EXTREMAMENTE CRUEL!!! Isso não deveria acontecerrrrrrr! Mas aconteceu e eu tava locadesesperadachorandotremendoperdida. Tive que dar um abraço de despedida na mamis e no papis e entrei. Eu nunca tinha andado de avião, ressalvo, e eu simplesmente fui pra fila preferencial HAHAHAH depois voltei pra fila normal e aí sim entrei no avião (chorando e tremendo). Liguei pra mamãe porque eu sou dessas, chorei mais um cadin, falei que amava eles, liguei pro Luan e só então eu sosseguei a bunda e desliguei o celular.

Blogayra boa é aquela que se explana né? HAHAHAH foto tamanho BIG da minha cara de choro só pra vcs verem o nível de sofrência. Aproveita e me adiciona no snap: MariianaFerrari

 Aí aquele trambolho decolou né? É a ordem natural das coisas. Cara como correeeeeeeeeeee! O voo foi meio desconfortável porque eu senti uma dor absurda no ouvido esquerdo, bem aguda sabe? Parecia que meu tímpano ia explodir a qualquer momento. Horrível. 

Eu tava re-zan-do pra ter muita nuvem mas não teve </3 

 Cheguei e já tive aquele baque enorme porque o Galeão é ENORME. O aqui de Vitória só tem uma sala de embarque e você entra no avião pelas escadinhas, lá não, lá tem um treco que conecta com a estrutura do aeroporto e vira uma passarela (!). Gente não sou da roça, é só que o único aeroporto que eu tinha ido até hoje era o do meu estado e ele é pequeno.
 E chegou a hora: conhecer a Ana (vocês já leram sobre ela aqui no blog). Primeira impressão: ela é mais alta do que eu imaginava. 
 Eu achei que fosse rolar desconforto, aquela coisinha meio vergonhinha quando a gente conhece alguém pessoalmente sabe? Mas não, ela (e a família toda) me trataram como se convivessem comigo há séculos. Ai adorei isso, apenax.
 Preciso fazer uma pequena ressalva: A vó Flor é uma fofaaaaaaaaaa. Vó Flor é a vó que mora com ela. Eu tava sem ver minha vó já tinha dez dias e tava carente de vó gente, relevem.

 Cheguei na casa dela, almoçamos e, como já era uma e pouco depois que acabamos de almoçar, resolvemos ir no shopping, porque pra sair pra conhecer lugares estava meio tarde. 
 Fomos no shopping Nova América, que foi construído com aparência de fábrica (porque era uma fábrica antes). Segundo a Ana, depois da reforma algumas características de fábrica se perderam, mas ele é super fofinho e dá pra perceber que era uma fábrica antes. 
 Na quinta fomos no centro, em algumas igrejas, CCBB, aquele lugar onde toda semana os políticos brigam, etc. e eu, claro, com a sorte que tenho, tive que ficar o que? AS-SA-DA. Isso mesmo migos. Minha coxa interna ficou num estado de calamidade pública, quase um atentado. No fim do passeio eu tava quase morrendo (nós andamos desde a central até a Lapa, passamos no Saara, parando onde a gente queria, etc) e adivinha quem não levou uma legging? Eu mesma. Só levei short bonitinho. Minha salvação foi que a tia Adriana, mãe da Ana, me emprestou duas dela, mas sabe quando você prepara as roupas pra usar com short e com legging não fica legal? Então. Mas isso é pro outro post.
 Estou me recuperando ainda da minha assadura, duas semanas depois. Eu sempre assei porque sempre tive as coxas grossas, então sol + short/saia + coxas raspando uma na outra = assadura. Mas só teve duas vezes que ficaram feias: quando eu fui pra Matilde (um lugar aqui no estado) e lá no Rio. Apesar de ter dado bolhas quando eu fui pra Matilde, senti que dessa vez ficou pior, porque coçou muito e ficou meio que em carne viva. NÃO É IGUAL VOCÊS ESTÃO IMAGINANDO, mas tinha muitas bolinhas, bem vermelhas, sabe? E agora tá com um aspecto super envelhecido, fora que tá super escuro, então é sinal de que foi pior.

 MEU DEUS PQ EU TÔ FALANDO DAS MINHAS ASSADURA????????? Vamo pras fotos que vocês já devem estar de sa-co cheio da minha falação.

Gente o quão lindo é esse lugar?? Banco do Brasil tá de parabéns porque esse lugar é um arraso.

ÓIA EU AÍ

Tá rolando (ou tava, não sei) uma exposição muito bacana lá no CCBB, "Ouro". Essa é uma escultura refletindo o garimpo e o que eu interpretei foi as mortes devido à ouro no garimpo. Achei genial.



 Uma outra exposição do CCBB, onde tinham várias carteiras de identidades pregadas nas paredes da escadaria, falando sobre cada indivíduo. O número do Registro Geral correspondia ao número de uma cabeça das que estavam penduradas no teto. A Ana interpretou que seria o que se passa na cabeça da pessoa, que não tem como sabermos o que ela quer pra ela, etc.  

Tinha dois "livros" desses na entrada do CCBB onde a gente escrevia algo. Não tinha giz na hora que a gente estava lá </3

Kd tia Mari?


Ana maravilhosa <3


 Tá bom por hoje né? Amanhã sai o post dos outros dias de viagem e o resto das fotos. Só quero ressaltar uma coisa: a experiência foi INCRÍVEL, eu adorei, passar esses dias na casa de uma pessoa que eu nem conhecia pessoalmente, nossa, foi ótimo. Ter amigos virtuais tem tantas vantagens que eu não sei nem enumerar, mas uma delas com certeza é ter uma casa e um abraço garantido em cada pedacinho do Brasil (e por que não do mundo?). Já voltei planejando a próxima viagem e o próximo destino. Não tenho palavras pra agradecer a Ana e a família dela pela estadia, porque realmente foi muito bom. 
 Eu tô extremamente ansiosa pra quando for a vez de alguma amiga virtual vir aqui pro meu cafofo <3

 Beijos e cheiros e aproveitem os últimos dois dias do ano. Tia Mari ama cada um de vocês!


2 comentários:

  1. O CCBB é incrível mesmo! Eu ia no daqui de SP direto com meus pais alguns anos atrás, amo o cinema e o teatro de lá.

    Aquele momento de felicidade: não sou a única que fica cás coxas bugada ao usar roupas curtas no calor jdnreivernv

    Cadê vlogs, ruiva? Cadê

    http://preenchendo-lacunas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui não tem, então sempre que for no Rio quero ir lá porque as exposições são incríveis.

      NÃO VOCÊ NÃO É A ÚNICA, VEMK!!!

      Não fiz vlogs Danizoca :(

      Excluir