quinta-feira, 15 de maio de 2014

15 de maio - 17 anos: O que estou sentindo


Oi pessoal!!! Hoje é meu dia a a a a.
 É... tô ficando velha.
 Pensei em fazer esse post desde o começo da semana, mas, agora, no vamuvê, confesso que não sei muito bem o que escrever.
 Antes no dia do meu aniversário eu me sentia tão extasiada! Parecia que eu não me aguentava de felicidade.
 Hoje eu sou grata.
 Grata por mais (ou seria menos?) um ano de vida, grata pelos pais que eu tenho, grata pela minha família, pelo meu namorado, pelos meus amigos. Grata pela vida.
 Ao mesmo tempo que eu quero que o tempo passe rápido, eu quero que ele pare. Eu tenho medo de ficar velha. De ver que a vida passou rápido demais. Sabe?
 Hoje eu tava pensando assim: "Putz, dezessete anos... é muita coisa pra mim. Mas, se eu pensar na idade do mundo, não chega a ser um cisco. Tantas pessoas passaram por aqui, tantas vidas, tantos 'dezessete anos'... como será que foi a vida deles, em épocas e situações diferentes da minha?". Eu fiquei meio assim. Vocês já pararam pra pensar nisso? Em como a gente não é nada nesse mundão de meu Deus? E em como a gente é tão importante pra quem tá aqui, pertinho da gente.
 Hoje, quando eu acordei (com uma dor de cabeça desgraçada inclusive), meus pais e minha avó me parabenizaram, como é normal acontecer.
 Mas quando minha mãe me abraçou e falou que eu sou a felicidade dela, que eu nasci pra dar leveza na vida dela, meu coração transbordou. Ela nunca escondeu isso, assim como sempre se orgulhou da minha história (na verdade a história da descoberta do meu sexo, mas é muito linda, qualquer dia desses conto pra vocês), mas acho que quando a gente vai ficando mais velha e tendo uma dimensão melhor do amor, a gente passa a entender um pouco como é o sentimento.
 Digo isso pelo Pedro e pelo Luan. Os dois são pessoas que eu aprendi a amar, e não que eu nasci amando. O Pedro, quando eu descobri que ele existia, faltavam dois dias pro meu aniversário de 14 anos, e eu fiquei tão feliz quando minha cunhada me contou! Mas não foi a felicidade que sinto hoje ao ver ele. Eu era uma criança ainda (ok ainda sou), e não entendia muito bem como esse amor ia tomar meu coração.
E o Luan eu amei desde o começo, mas só consegui assimilar e aceitar isso quando já estávamos com mais de um mês de namoro. O amor é um sentimento confuso, e que você se acostuma à ele, então você percebe que o sente com pequenos gestos.
 Por exemplo: quando o Pedro me chama de "xixia Mali" e sorri quando tô com raiva dele. É nessa hora que eu esqueço a raiva, que meu coração derrete e eu penso: meu Deus, como eu amo esse garoto.
 E quando eu vejo meus irmãos todos reunidos se alfinetando entre si e se xingando, eu penso em como amo eles.
 E quando eu vejo o Luan com os olhos que eu via no começo do namoro e, nossa, como eu amo ele.
 Conseguem entender? O amor é assim.
 Por que raios eu tô falando só de amor?
 HOJE É MEU ANIVERSÁRIO E EU TÔ FICANDO VELHAAAAAAAAAAAA!
 Cês vão me amar mesmo quando eu for uma velha coroca escrevendo pra esse blog que vai ter uns trocentos anos? Prometem? De coraçãozinho? Mesmo se eu não for famosa? Ó, promessa de dedinho não se quebra viu?
 O que sinto hoje acho que vocês já perceberam: amor. E confusão porque dia de aniversário é sempre um dia que eu penso que um dia vou morrer. SOS.
 Mas e aí como estão a vida docês?
 Hoje de noite vou sair e acho -acho- que vai ter looka do dia. MARIANA VOCÊ FAZENDO LOOK DO DIA? Sim pfvr me respeitem e não me encham o saco. Talvez eu queira virar uma mimizenta ok? OKAY.
 E tenho uns posts maneiríssimos pra fazer pro blog, vocês vão chorar muito comigo <3
 E tô fazendo um vlog hoje. Acho bom todo mundo assistir.
 Kd meus parabéns? Tô esperando.

tic tac tic tac tic tac

 Cadê genteeeeeee?

batendo o pé freneticamente

Amo vocês <3
Beijos da Mari que agora tá com quase dezoito anos (alô, mãe HAHAHAHAHH)

2 comentários:

  1. Parabéns de novooooooooooooo! hahahah ♥
    Eu sempre pensei no meu aniversário como "caraca, tô ficando velha, vou morrer", mas sempre juntei os migos pra comemorar, nem que seja com pizza. Dá pra entender?
    Mas o amor é isso, é lindo, é confuso. É querer matar (a pessoa) e morrer por ela, ao mesmo tempo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Eliii <3 <3
      Sim eu penso dessa forma também UAHAUHA é desesperador né? D: Mas tão bom que vale a pena!

      Excluir