quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

Conhecendo religiões/ceitas - Espiritismo

 E aí povo? Acabei que vai ser hoje o primeiro post sobre a nova TAG mesmo, não aguentei de ansiedade Ç-Ç

 Ontem no post de apresentação da nova TAG, eu deixei a imagem de um templo. Três pessoas comentaram e, bem, as três acertaram.
 É o templo (eu vou usar o nome correto só no dia que for sobre a Maçonaria) Maçom.

 Mas vamos lá, procês aprenderem sobre o Espiritismo (que é uma religião linda, aliás).
Eu tive a ajuda da Ana Beatriz Leiroz, do blog Balburdia Interna, e um depoimento da Amanda Ribeiro, que não tem blog ainda.

Aviso: Esses posts vão ser muito grandes, porque eu consegui muita coisa. Então, se você tem real interesse, clica em Leia Mais, pra aprender sobre o Espiritismo, ok?

Imagem do Google. Deixei pequena porque a resolução pé baixa.




Depoimento de uma espírita - Amanda Ribeiro

 "Quando começa o papo de religião e eu falo que sou kardecista, não demora nada para ter olhares estranhos sobre mim.
 No começo eu ficava chateada, já que o preconceito começou da parte de amigas minhas. 'Mandy, faz uma macumba?'. 
 Eu explicava que o Espiritismo não é nada disso, mas não adiantava. Minha própria avó morria de medo de ir ao  centro espírita, mas um dia resolveu ir comigo e com meus pais. Ela ficou espantada porque não era nada daquilo que ela pensava que iria ser, como um ambiente sinistro e pessoas fazendo coisas ruins. 
Já ouvi diversas perguntas em relação a minha religião por causa dos conceitos antecipados que as pessoas têm sobre ela. Desde 'você vê espíritos?' ao 'você consegue incorporar alguém?'.  Quando dizia que não, sempre recebia os olhares curiosos. Não é preciso ser médium para ser espírita!
 Eu sou kardecista porque gosto muito do que a religião prega, que não é maldade como muitas pessoas pensam, mas sim caridade, amor e os ensinamentos de Deus e Jesus Cristo."

 E a Mandy ainda completou com um: "O  preconceito não leva ninguém a lugar algum. Que ficar criticando a religião dos outros não nos torna melhores e nem os tornam piores. Respeito é a base de tudo!"

Tive um bate-papo bem legal com a Ana, que foi uma menina que me identifiquei no primeiro momento de conversa. 
 Fiz bastante perguntas e ela respondeu todas de forma magnífica e super explicativa.

 Bate-papo com a Ana

Mari: O que é o espiritismo? Quais os conceitos?
Ana: No prefácio do Evangelho segundo o espiritismo, de Alan Kardec, tem isso: "Os Espíritos do Senhor, que são as virtudes dos Céus, qual imenso exército que se movimenta ao receber as ordens do seu comando, espalham-se por toda a superfície da Terra e, semelhantes a estrelas cadentes, vêm iluminar os caminhos e abrir os olhos aos cegos".
 Espírito da Verdade. Esse espírito da Verdade para alguns é o próprio Cristo e para outros é algum espírito desconhecido. 
 O problema é que na própria doutrina não é uma definição de espiritismo. Na realidade, é mais uma filosofia. O seu codificador foi Hippolyte Léon Denizard Rivail, um professor, escritor e tradutor. Multifuncional como toda aquela galera intelectual do século XIX. Ele se interessou em espíritos, numa França ainda bem católica, por causa de "mesas girantes".

Mari: Uau, não sabia que o nome dele não era Allan Kardec!! Então quem é "espirita kardecista" segue a doutrina desse cara?
Ana: Isso é bem complicado de dizer, Mari. Kardec nunca criou doutrina nenhuma. Ele escreveu (através de psicografia, comparações de cartas e tudo o mais) o pentateuco espírita: O Evangelho segundo o Espiritismo; Céu e Inferno; O livro dos Médiuns; O livro dos Espíritos e A gênese.
 Algumas pessoas criaram essa doutrina kardecista para se separarem das outras vertentes espíritas como a umbanda e o candomblé. Eu acho muito complicado isso porque cria um ambiente de segregação e não é isso que deve acontecer para se universalizar o conhecimento.
 Mas isso eu não li em nenhum livro. É o que vivenciei, então deixa isso  bem claro por favor.

Mari: Como são as reuniões do espiritismo?
Ana: Varia de centro para centro. Na maioria das vezes tem uma vez por semana ou mais. E é geralmente com um palestrante já médium, ou seja, que passou pela escola de médiuns e estudou, leu livros, participou de várias reuniões para conseguir falar bem.

Mari: E o que acontece nessas reuniões? Eu sei que vocês leem o evangelho e refletem, mas tem mais?
Ana: Não. Geralmente no final tem um passe. A gente lê, pensa, em alguns lugares dá pra discutir em grupo (mas no meu as palestras não podem ser discutidas no momento em que são dadas porque são mais 
de 100 pessoas por dia. dúvidas são tiradas em outro segmento, o estudo sistematizado ou com qualquer médium da casa).

Mari: E o que são os passes?
Ana: Também varia de centro para centro. No meu, você precisa retirar todo metal porque chamamos de passe magnético. Na verdade, é uma fluidez de energia do médium (que está em oração durante todo o dia, mesmo tendo trabalhado e tudo o mais). Você faz a sua prece, quietinho, de olhos fechados e o médium aplica o passe. É uma das primeiras coisas que se aprende numa escola de médiuns. É aquela história de: pensamento positivo > energias positivas.

Mari: Eu entendi o conceito mas não entendi pra que exatamente serve o passe, me explica?
Ana: É exatamente a ideia de passar boas energias pra pessoa.
Mari: Ata, e por que o metal?
Ana: Porque metal não absorve calor? Calor não é energia? Então o metal absorve energia como um todo. Assim como a roupa preta absorve também, então pedem para irmos com roupas claras. Só isso mesmo.

Mari: Nossa, que legal, não tinha pensado por essa perspectiva.
Ana: Parecia meio doido no início mas depois fez mais sentido. Assim como pedem para evitarmos comidas muito pesadas no dia em que formos, porque gastamos mais energia para digerir. Além disso, é chato se sentir pesadão e cheio num ambiente de oração. Mas isso é onde eu frequento, que é universalista.

Mari: E o que é universalista? (curiosa)
Ana: Não dá pra dizer muito ao certo. Mas pra mim tá no mesmo bolo. Só que os "kardecistas" não admitem coisas como Karma (que nada mais é que a lei de causa de efeito) e universalistas sim. Não é que você esteja destinado a algo e não tenha mais o que fazer pra evitar. Mas indica que se você fez algo ruim a alguém, essa pessoa pode revidar. Se ela for muito evoluída, ela não vai prolongar o karma e a resposta vem da natureza de alguma outra forma para te ensinar algo.
 Mas dentro do universalismo há diveeersas ramificações. Entende-se que o ser humano precisa não de nenhuma religião, mas conceitos morais.
 Ah, e meu centro é seguidor da linha de Ramatis, um espírito que se apresenta como oriental. Mas isso é mais complicado de explicar num post assim porque nem a comunidade espírita tem um consenso sobre isso.

Mari: Como são as sessões de regressão, pra saber sobre as vidas passadas?
Ana: Olha, eu não sei e nunca fiz. O Espiritismo aconselha apenas como terapia e não como algo a ser feito indiscriminadamente.
 Ou seja, a regressão é mais indicada para casos de fobia, medos, etc, SE a terapia convencional com psicólogos e médicos não for efetiva. 
 Acontece que, com curiosos, pode ocorrer de a pessoa ficar se sentindo com um peso da vida passada.
 Exemplo: Você descobre que no passado você matou uma pessoa que hoje em dia não se dá tão bem com você. Você vai entrar em parafuso com medo de ela revidar. 
 E, se você solicita, geralmente os espíritos concedem. Caso muito raro não acontecer.

Mari: Como assim eu solicitar?
Ana: Você for fazer a regressão, entende? Você vai lá com o médium que vai fazer e vai solicitar que te mostrem as coisas. Aí eles mostram geralmente.
Mari: Então se eu tiver uma vida passada eu fiz algo ruim?
Ana: Lembra do lance da evolução? Às vezes você não fez nada ruim, mas a probabilidade é grande de ter feito sim. Aí você volta pra criar ou reforçar laços com as pessoas aqui e assim vai.
 Exemplo: Você não gosta de alguém. Aí você nessa vida morre odiando a pessoa. A tendência é você voltar diversas vezes com ela para aprender a amá-la e evoluir moralmente.

Mari: A, entendi. E no caso de amores? Tipo, tenho muita curiosidade de, se existir vidas passadas, saber quem eu fui (aparência, personalidade) e queria saber se eu fiquei com o mesmo cara que estou hoje, sabe?  Essa curiosidade é idiota?
Ana: Não é idiota, mas não vale a pena na maioria das vezes ser investigada. O problema da regressão ta aí, lembra? Às vezes você fica tentando fazer, inconscientemente, as coisas darem certo porque antes deram errado, entende? Mais fácil é tentar viver da melhor forma possível com quem você ama.

Daí, a Ana explicou:

-  O espiritismo de Kardec estuda e utiliza a Bíblia. Mas o foco principal é o código deixado por Jesus, a Boa Nova ou o Evangelho. Qualquer casa espírita tem uma Bíblia e o pentateuco. O problema é que eles não consideram TUDO O QUE ESTÁ na Bíblia como certo porque entende-se que variou, é um livro antigo, que precisava ser exposto desse jeito por conta das pessoas que viviam na época. Deveria ser palatável.

-  A origem da palavra espiritismo: Bem, a palavra "espiritismo" é um neologismo criado por Kardec no século XIX. Então as pessoas que dizem que a Bíblia é clara quanto à "ilegalidade" do Espiritísmo perante a Deus, por assim dizer, apenas reproduzem coisas que não foram realmente ditas. Isso é resultado das mil e uma traduções da Bíblia. 
 O espiritismo objetiva um crescimento moral individual. Você consegue isso sendo uma pessoa caridosa, procurando fazer o bem a amar ao próximo. Com isso, você como espírito evolui. Para a maioria das pessoas, são necessárias diversas encarnações.

-  O que são encarnações: São as diferentes vidas portando um corpo físico. No Evangelho segundo o Espiritismo, capítulo 4 em 'Necessidade da encarnação' é dito isso: "A passagem dos espíritos pela vida corporal é necessária para que eles possam cumprir, por meio de uma ação material, os desígnios cuja execução Deus lhes confia. É-lhes necessária, a bem deles, visto que a atividade que são obrigados a exercer lhes auxilia o desenvolvimento da inteligência. Sendo soberanamente justo, Deus  tem de distribuir tudo igualmente entre seus filhos; assim é que estabeleceu para todos os mesmo ponto de partida, a mesma aptidão, as mesmas obrigações a cumprir e a mesma liberdade de proceder"

-  Como os espíritos se comunicam: Os espíritos se comunicam conosco através de psicografias (em que textos são ditados e escritos pelo médium num estado de transe total ou não, a depender da casa espírita ou da época em que acontecia isso), falando, através de intuições ou diversas outras formas. Para o espiritismo todos tem um grau de mediunidade. Se é mais ou menos desenvolvido depende da sua necessidade de evolução e de alguns outros fatores mais específicos.


 E aí, a Ana arrasou nas explicações, ne? Acho que ficou bem claro para mim e para quem leu até aqui o que é o Espiritismo.
 Quem leu até aqui? O que acharam? Estão gostando desse tipo de post, dessa nova TAG? 
 Responde aqui nos comentários, vou adorar saber o que vocês estão achando.

 (Eu, particularmente, estou amando.)

 Um beijo e um queijo <3

16 comentários:

  1. Adorei! Ainda bem que foi a Ana que explicou tudo! hahaha
    Mais uma vez, parabéns pela iniciativa, Mariana! Não vejo a hora de ler os próximos posts!

    Beijos,
    Mandy.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai Mandy, sua contribuição foi maravilhosa também! Muitíssimo obrigada <3

      Fica de olho que já já saem os próximos, haha

      Excluir
  2. Bom, eu sou Kardecista também e a única da família. Eu consegui me sentir acolhida, onde muitos dizem que é uma doutrina e não uma religião. No centro que eu frequento nós temos reuniões quase todos os dias da semana e cada uma é destina para alguma coisa. Por exemplo: Sábado é para os jovens e terça para os adultos e quinta para as crianças e todas elas seguem o mesma esquema do centro da Amanda, nós lemos algum trecho do Evangelho e depois alguém que conhece mais profundamente o assunto da pauta, dá uma mini-palestra. Só que também temos dias para os trabalhos, psicografia e ajuda aos espíritos inquietos. No final a gente também tem o passe, mas no meu centro nós temos o magnético, que é mais como uma prece e temos também o espiritual, para aqueles que estão aflitos e precisam de conselhos mais profundos em alguma parte da sua vida. Esses passes são com médiuns incorporados. Eu sou apaixonada pela doutrina espirita. Gostei de você ter tido essa iniciativa, sugiro que você também fale sobre a Religião Wicca, é bem interessante de ser estudada. Aliás eu adoro estudar religiões.
    Segredo de um Mundo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Bruna, obrigada pelo seu comentário! Adorei a sua explicação, do que você faz no seu centro. O passe do centro da Ana também é magnético.
      Ah, e pode ficar tranquila, estou nesse momento conversando com uma menina que é Wicca, e já está na lista dos posts. Fica de olho aqui que logo logo vai ter :D

      Excluir
  3. Minha família (por parte de mãe) é espirita. O espiritismo é uma religião maravilhosa. Quando era mais nova e não entendia muito bem, minha avó sempre me falava para não dizer que era, pois por mais que hoje seja pouco algumas pessoas achavam que era algo ruim. Frequentei centros e é a melhor coisa que uma pessoa pode fazer.
    Otima matéria Mari (olha que intima) haha parabéns!
    http://alohajas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Leth, o Espiritismo sofre bastante preconceito. Eu lamento muito por isso. Lamento também por ter falado muito coisas que não sabia. Sabe aquela coisa de "Ninguém nasce aprendendo a odiar, é ensinado a isso"? Então. Não odiava, mas tinha uma coisa de "ah, Espiritismo é macumba". À medida que fui crescendo e amadurecendo, percebi que não, não era nada disso.
      Estou encantada com a religião,é de muito bom gosto!

      Obrigada, e se sinta à vontade para me chamar de Mari hahahah

      Excluir
  4. Nossa que post longo! E eu li tudo!
    Eu não tenho a mente fechada, sou curiosa mesmo quando se trata de outras religiões!

    Com certeza posso dizer que com toda essa explicação fica mais fácil respeitar os meus colegas espíritas.

    Bjos
    Projeto23 - O Blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não reclame do tamanho do post dona Mayara! UAHAUAHUAHAUHAU

      Com certeza fica, ne? To adorando fazer isso <3

      Excluir
  5. Eu amei o post, e acho que se der para dar uma aumentada, podia perguntar sobre projeção, conheci isso esse ano e fiquei bem curiosa! Seria legal, é uma coisa que pouca gente conhece e muito interessante :3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uau, gostei da ideia Vic! Vou conversar com a Ana, e quem sabe não faço um segundo post sobre o Espiritismo, falando sobre a projeção, ou dou um update nesse.
      Obrigada pela dica! <3

      Excluir
  6. Adorei!!! Parabéns mesmo!!! Me tirou muitas dúvidas e eu tenho muita vontade de ir a um centro espírita!
    Ah,o seu blog tem conteúdo! Continue assim <3
    Um beijo,
    Duda Kiame
    Elfos Urbanos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Duda! Obrigada pelos elogios, tô toda boba aqui UAHAUHA

      Olha, acho que vale a visita, viu? Vê aonde tem no seu bairro/cidade, e vai lá!
      Beijos <3

      Excluir
  7. Sua linda! Ficou exatamente o que eu disse, gente! Só um adendo pra galera que leu e está curiosa: eu não estudei profundamente ainda, tá? Eu cresci na doutrina e foram meus anos de palestra, livros e tudo mais. Ano que vem eu começo a Escola de Médiuns, algo mais voltado para o trabalho na casa espírita e acho que poderei contribuir muito mais.
    Obrigada pela visibilidade, Mari. Muito importante para diminuir o preconceito que sofremos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que isso Ana, eu que agradeço por abrir a minha (e com certeza a de muitas pessoas) mente. Você já fala como uma profissional, imagina quando estudar mais! Parabéns e obrigada novamente <3

      Excluir
  8. Adorei o post!!!
    Eu tenho uma tia que é espírita, então por um tempo frequentei o centro espírita onde ela ia. Eu adorava. Aí, por conta de correria com estudos etc, acabei me afastando. Mas pretendo voltar esse ano, porque o espiritismo é maravilhoso e é a doutrina que mais me identifiquei e acreditei, porque já frequentei várias igrejas, já tive contato com outras religiões, mas nenhuma foi como o espiritismo.
    E realmente, sobre bastante preconceito. Quando digo que frequento centro espírita, a pessoa já arregala o olho, aí eu dou uma rápida explicada que não tem nada a ver com macumba e tal'z. Aí a pessoa fica normal e geralmente até se interessa em saber mais.
    Ah, e eu tô visitando seu blog hj pela primeira vez e tô gostando bastante e tbm tô esperando ansiosíssima pelos próximos posts dessa tag *-*
    (Sorry pelo comentário enorme hehehe')
    Beeijos linda,
    Stefany.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sobre o comentário enorme: A-DO-RO! Vou providenciar os outros!
      Pois é, as pessoas tem tendência a agir com preconceito de algo que elas não conhecem, infelizmente! Mas que bom que você tem paciência pra explicar, sério hahaha obrigada pela visita e pelo comentário, adorei <3

      Excluir