sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Entrevista da vez: A fotógrafa capixaba Maressa Moura ♥

 Esse post começou a ser escrito ao som de Beautiful - Christina Aguilera

 Sim, eu TIVE que pôr capixaba, vai que pessoas de outros lugares leiam esse blog inabitado, ne? Sou muito patriota de Estado (esqueci o nome - oremos).
 Enfim, como prometido, aqui estamos com a entrevista \o/, fiquei tão empolgada com esse lance de ser repórter e prestigiar os talentosos que: virou tag!!! Sim, sempre que eu ver alguém com um talento lindo e essa pessoa tiver saco pra conversar comigo, vou fazer a entrevista e postar aqui, isso talvez me faça postar mais no blog, já que o tempo deu uma afrouxada pra mim (posso ouvir um "Amém, irmão?").
 Af Mari, você fala demais. 
 Eu sei, eu sei. Desculpem, ok? Não sou muda e a gente tem língua (no caso, dedos) pra falar mesmo #ofendida.

 SIMBORA MEU POVO, CLICA NO MAIS INFORMAÇÕESSSS!!!




·         Ei Mare! Primeiramente, quero agradecer pela oportunidade de topar ser entrevistada por uma fã e dona de um humilde blog haha
Pergunta no 1- Como tudo começou e  como é, pra você, ser fotógrafa?
Em primeiro lugar, o prazer é meu! ;}
Bom, vamos lá... Ser fotógrafa pra mim é sinônimo de felicidade, trabalho com o que amo e tenho o relevante papel de gravar momentos marcantes pra sempre! Acho o máximo ser fotógrafa, falo com o orgulho de quem estava perdida profissionalmente e foi encontrada pela fotografia. Eu fiz faculdade de   Publicidade e Propaganda, e  lá, tive 2 matérias de foto. Aquela magia de filme, laboratório..mexeu comigo, e eu que já gostava de fotografar, busquei uns cursos pra iniciante mesmo, comprei uma câmera e comecei na cara e na coragem. Comecei fazendo muitas festinhas de criança, fui fazendo mais cursos, estudando, trocando de equipamentos e melhorando..até que um belo dia, no final de 2010 percebi que tava infeliz no meu ex trabalho, e larguei tudo (que nem era muito, mas mesmo assim requer coragem!) pra me dedicar em tempo integral a essa paixão.

2. Você se inspira em alguma coisa para fazer as fotos ou solta a imaginação e pede ajuda de quem ta sendo fotografado?

Pra ser sincera, ainda não descobri exatamente de onde vem minha inspiração, mas posso dizer que as vezes surge de uma conversa.. ou de uma letra de música, de alguma cena incrível de filme. Não existe uma fonte apenas. E não existe também ‘uhul, estou inspiradíssima hoje, vou arrebentar no ensaio’, as coisas fluem!
3. Tem um padrão para suas fotos ou cada ensaio é uma surpresa?
Definitivamente cada ensaio é uma surpresa. Você pode até fazer fotos no mesmo cenário, mas tendo personagens diferentes em cada sessão, vai ser diferente. Vai aparecer uma ideia         maluca, um sorriso fora de hora, um movimento que não tava no script.
4. Você tem preferência com os ensaios? Por ex, crianças, casais, família...?
Ainda não defini meu favorito, mas acho que gosto mais de fotografar casais. Ainda mais casais   apaixonados! É sempre muito bom, leve, verdadeiro.. Mas adoro grávidas e famílias também!
5. E para a cobertura de festas?
Adoro casamentos! Mas também faço chás, aniversários, noivados.. ;}
6. Eu reparei que suas fotos são externas. Por que gosta de trabalhar mais com o ambiente externo?
Em primeiro lugar porque não gosto de fotos de estúdio. Acho que fica muito engessado, tudo muito igual. Se bem que agora, fazer fotos externas está super em alta. Todo mundo quer, todo fotógrafo faz..e com isso, as fotos externas tendem a ficar muito parecidas também. Então acaba sendo um desafio se diferenciar.
7. Quando eu tiver oportunidade e uma boa câmera (oremos), quero fazer um ensaio da minha mãe e vo (que não vão reclamar se ficar ó, uma bosta) em poses parecidas e que valorizem suas belezas e expressões faciais, para fazer tipo uma comparação mesmo, ja que são mae e filha. Ver quais expressões são parecidas, etc., e vi que uma fotógrafa fez uma sessão com fotos de casais "grávidos" dormindo. Você tem vontade de fazer algo assim? Pode falar pra gente o que?
Tenho a grande meta de conseguir ter mais tempo e ideias pra me dedicar a esses projetos paralelos, sei da importância que isso tem pro fotógrafo se inspirar e obter mais recursos e criatividade. Comecei uma série de fotos que faziam uma releitura de uma musica do Chico (o lindo do Buarque). Nunca publiquei. Foi uma coisa bem pra mim mesma, tava numa época meio blue e a música era ‘minha’. O projeto me ajudou a interpretar as coisas de uma forma mais leve. Gosto de encontrar a arte nos ápices. Seja de alegria ou sofrimento.
8. O que você sente quando fotografa?
Sinto que preciso dar o meu melhor, que é o meu dever dar o máximo de mim ao outro. Preciso me doar pra conseguir que o fotografado se abra também. Fotografia é troca. Assim que eu pego a câmera, alguma coisa se transforma dentro de mim. Sinto gratidão por tanta gente acreditar no meu trabalho!


9. Suas fotos são lindas, e a maioria são (ou disfarçam muito ser) espontâneas. Você prefere trabalhar com a espontaneidade?
Obrigada! E sim,  prefiro muito! Sempre digo que a técnica, a luz, composição, são  importantes e é maravilhoso quando conseguimos trabalhar tudo isso na mesma foto, mas o ‘momento’ pra mim tem muito mais peso na hora de escolher por exemplo as fotos que vou postar. Não dá pra forçar a espontaneidade, porque ela vem do momento, e o momento é gerado por um sentimento. Sentimentos verdadeiros são palpáveis e vistos a olho nu quando tô fotografando.

10. Tem algum evento/ensaio que você se orgulha de ter feito parte? Mostra foto pra gente?
Ixi...são 4 anos fotografando, com certeza tem muita coisa que me orgulho de ter feito! Mas os mais recentes foram os ensaios e os dois casamentos que fotografei na Alemanha. Foi especial pois não estavam no script e foram muito diferentes dos casamentos que fotografo por aqui. Outro momento marcante da minha vida, foi ter conhecido um grande ídolo, o Sebastião Salgado. Aqueles momentos em seu estúdio em Paris foram mágicos e serão lembrados pra sempre.
11. Todo fotógrafo prefere um horário do dia ou clima pra fotografar. Com você é assim ou não tem tempo ruim?
Sou de fases. Já preferi fotografar em dia nublado. Quando tinha alguma sessão agendada, torcia pra quase chover. Gosto muito daquele céu mais lavado, suave, ele reflete um pouco meu lado melancólico, sentimental. Mas hoje, sei lá. Toda hora é hora. Acho que a gente tem que aprender a fotografar em qualquer horário, em todos os sóis..rs.                   
12. Você tem orgulho de ser uma fotógrafa capixaba de nome ou quer mudar de estado/país e terminar de construir sua carreira la?
Obrigada pelo ‘de nome’ hehe! Considero que tô apenas começando e tenho muito ainda pra aprender, crescer e conquistar na fotografia. Não penso em me mudar. Já tive motivos pra       querer isso, mas hoje minha vida está aqui. Gosto de estar perto dos meus pais e irmão, eles me apoiam muito, graças a Deus.
13. Todo fotógrafo tem fotos preferidas. Mostra as suas pra gente?
Que difícil escolher fotos preferidas! Vou catar umas fotos que resumem um pouco do meu estilo na fotografia, ok? Espero que gostem!
















Beijos e muuuito obrigada! Adorei ser entrevistada!

 É OU NÃO É UMA FOFA????????????????? Morri de amores ♥♥♥
 Detalhe: Perceberam que algumas fotos dela preferida são das que eu postei ontem? Viu, tenho senso crítico haha

 Gente, a page da Mare é essa aqui, quem quiser curtir, comentar, mandar inbox, vale a pena porque ela é um amor de pessoa (podem se apaixonar que ela ta solteira, gente!)
 Beijos e queijos e até daqui a pouco com o resultado do sorteio. (ainda dá tempo de participar, aqui).
           


Nenhum comentário:

Postar um comentário