sábado, 24 de março de 2012

 Era noite de lua cheia, Pâmela adorava noites de lua cheia. Hoje ela estava mais linda que o normal, pertinho, parecia até que alguém tinha jogado uma corda e a trazido mais pra perto, igual no filme do Poderoso Chefão. E hoje especificamente era uma noite muito especial pra ela. Já estava tudo marcado, tudo certo, seria perfeito, como ela merecia. Sua mãe deu a maior força. A levou no ginecologista, foi com ela escolher uma lingerie. Ela escolheu uma branca meio transparente, com uma fita lilás larga embaixo dos seios e delicados lacinhos lilás dali pra baixo. Sua mãe achou linda, deslumbrante. Claro que ela havia ficado estática quando sua pequena PamPam a contou, junto com seu namorido, que estava pronta. Ela achava um ano de namoro muito pouco. Se dona Shirley chorou? Claro que chorou. Mas não na frente da sua princesa. Foi severa e amiga, ao mesmo tempo. Disse que esse próximo passo era um passo de muita responsabilidade, e que eles deveriam agir dali pra frente como um casal sério. Mas ela, no fundo, sabia que não precisava dizer nada disso. Sua filha era uma menina muito madura pra idade dela. Apesar de ter quinze anos, quem conversava com ela achava que ela tinha dezessete. Pâmela já havia deixado Shirley alerta meses atrás, quando foi no ginecologista pela primeira vez. Shirley sabia que ela não queria ir como simples exame de rotina. Ela sabia que sua filha logo estaria pronta. E ela prometeu a si mesma: "-Eu vou ajudá-la. Não vou ficar contra ela, não vou proibir nada à eles. Pois, de um jeito ou de outro, eles vão fazer. Me falando vai ser a forma mais segura."
E foi isso que a fez estar ali, comprando uma lingerie e um sutiã e uma calcinha brancos pra sua filha. Ela queria que, ao contrário da sua primeira vez, a de PamPam fosse perfeita. Já havia combinado tudo com Léo: seria numa casa de praia, a casa estaria toda preparada para eles; Shirley deu um pulo lá no dia anterior pra ajudar Léo a arrumar a casa.
- Bom, já está na hora.  - disse Shirley pra sua filha.
- É... - Pâmela mal conseguia raciocinar, tão feliz que estava.
- Meu amor, vai dar tudo certo. Qualquer coisa me ligue. Vai ser a noite mais perfeita da sua vida.
- Ai mamãe, eu te ligo assim que acabar.
- Claro que não! Vai me ligar quando tiver tempo. Esses quatro dias são só seus. Você vai aproveitar ao máximo o seu amor, porque não é todo dia que seu pai faz uma viajem sozinho em pleno feriado.
- Você vai ficar chateada por não contar à ele?
- Claro que não minha querida, se ele fosse menos histérico eu diria. Mas ele vai saber na hora certa. Agora vai, vai que seu baby ta esperando.
Elas se abraçaram de novo, e sua filha foi. "Faça com que seja perfeito meu Deus." ela fez uma prece em silêncio...

Nenhum comentário:

Postar um comentário